Análise: GP da Espanha de F-1

Imagem

O GP da Espanha disputado neste domingo em Barcelona comprovou algo que até os mais críticos devem concordar comigo, ou seja, o talento do piloto espanhol Fernando Alonso é indiscutível. Alonso é daqueles pilotos que não desperdiçam nenhuma oportunidade para se obter um desempenho além do esperado em cada corrida.

Levando-se em conta que tinha toda a torcida a seu favor, o espanhol aproveitou e numa manobra espetacular e sensacional após a largada ultrapassou de uma vez só Lewis Hamilton e Kimi Raikkonen pulando da quinta colocação para a terceira.

Após isso, mostrou sua inteligência e entendimento durante uma corrida e, se aproveitou do conjunto muito bom da Ferrari neste final de semana e venceu com todos os méritos diante de sua torcida se colocando como um dos candidatos a luta pelo título em 2013.

Além de Alonso, os pilotos que merecem destaque na corrida deste domingo são Kimi Raikkonen e Felipe Massa. Kimi porque é um piloto fantástico e, com sua tocada limpa e de extrema inteligência, vai encaixando um pódium atrás do outro e, a constância do piloto finlandês impressiona: são 22 corridas pontuando seguidamente e, o recorde pertence a Michael Schumacher com 24 corridas pontuando em sequência. Kimi tem totais condições de quebrar esse recorde e, na minha opinião será o maior rival de Alonso na luta do título este ano.

Felipe Massa fez uma ótima corrida, sendo agressivo e combativo desde a largada. Para quem largou em nono após a punição e terminar em terceiro subindo pela primeira vez ao pódium em 2013 é um resultado que deve ser comemorado e muito, pois apesar das dificuldades Massa acreditou que poderia fazer uma bela corrida e chegou lá. Gostei muito de ver o brasileiro andando forte do início ao final da corrida e que a boa fase permaneça nas próximas corridas.

Vettel não teve carro para brigar pela vitória e muito menos por um lugar no pódium, porém sabe que o campeonato é longo e, quando não se tem carro pra vencer ou terminar entre o Top3, tenta-se somar o maior número de pontos possíveis. Foi isso que o piloto alemão fez hoje terminando na quarta colocação e com os pontos conquistados permanece líder da temporada.

A grande decepção da corrida ficou novamente por conta da Mercedes que, apesar de ter conquistado a primeira fila na classificação, jamais foi fator determinante para vencer a corrida. Rosberg ainda se esforçou ao máximo sendo valente e resistindo aos ataques de Vettel e Alonso até a primeira rodada de pit-stops, porém após o primeiro pit, o alemão perdeu terreno e teve que se contentar com a sexta colocação no final da prova.

Já o inglês Lewis Hamilton, teve um desempenho aquém do esperado, caindo na primeira volta de segundo para quinto e, após o primeiro pit-stop jamais voltou ao pelotão dos cinco primeiros, chegando a perder posições para carros da Force India, Mclaren, Toro Rosso e acreditem até a Williams de Pastor Maldonado que é um carro bem inferior a Mercedes.

Ainda é cedo para tirar qualquer conclusão, mas espero não queimar a língua novamente este ano, pois achei que a Mercedes não seria um fiasco durante a temporada européia, mas pelo o que demonstrou hoje a equipe andou para trás no desenvolvimento do carro e principalmente não resolveu o problema de desgaste de pneus.

Bom pessoal é isso e, fiquem a vontade para fazerem seus comentários.

Grande abraço.

Alexandre Costa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s